Registro de Imóveis: CRI-PR dialoga com cartórios no Estado para melhorias nos procedimentos

19 de dezembro de 2016

Entidade está verificando necessidades e recebendo sugestões para promover avanços no atendimento dos ofícios paranaenses de RI ao documento eletrônico

O Colégio de Registro de Imóveis do Paraná (CRI-PR) iniciou o debate, dando continuidade à implementação do documento eletrônico e da central eletrônica, junto aos cartórios de Registro de Imóveis do Estado, a fim de reunir sugestões para o melhor atendimento à população e administração pública. O objetivo também é tomar conhecimento das necessidades e peculiaridades de cada ofício no dia a dia dos serviços prestados.

No que diz respeito ao aspecto tecnológico de desenvolvimento da central eletrônica no país, o Paraná tem procurado contribuir com a experiência de mais de 15 anos de atuação no desenvolvimento da ferramenta, apontando com base no conhecimento empírico, os acertos e dificuldades para implantação do documento eletrônico.

“Pensar somente na demanda do Paraná é fácil, porém precisamos nos adequar a uma realidade nacional. Porque o arquivo eletrônico emitido dentro do Estado também poderá ser registrado em outros locais. Em alguns casos um contrato de compra e venda de um imóvel em Mato Grosso é registrado no Recife. Por isso, estamos conversando, a fim de que possamos atender às demandas locais e, eventualmente, nacionais”, explica o coordenador de informática do CRI-PR, João Carlos Kloster.

Na prática, toda escritura de compra e venda de imóvel, por exemplo, é lavrada no tabelionato, sendo um instrumento eletrônico. Esse documento é encaminhado ao registro de imóveis pra fazer o registro da escritura e, para isso, esses arquivos precisam ser compatíveis, ou seja, sucetíveis a interconexão para que seja possível dar continuidade aos atos.

Boletim informativo Sinoreg-PR n. 23

Leia mais:

Confira o vigésimo terceiro número do Boletim informativo do Sinoreg-PR:

> Editorial

> Em pauta: Apostilamento de documentos será feito por cartórios do interior do país
Após procedimento ser regulamentado nas capitais, atendimento a demanda será realizada em outras cidades brasileiras

> Cenário: Gratuidade de serviços prestados nos cartórios necessita debate contínuo
Especialista destaca que assunto precisa de reflexão, durante apresentação no XVIII Congresso Brasileiro de Direito Notarial e de Registro