Em pauta: Apostilamento de documentos será feito por cartórios do interior do país

19 de dezembro de 2016

Após procedimento ser regulamentado nas capitais, atendimento a demanda será realizada em outras cidades brasileiras

O Corregedor Nacional de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, autorizou o cadastramento das serventias do interior do país que estão aptas a realizar o apostilamento nos termos da Resolução nº 228, de 22 de junho de 2016. O Corregedor já autorizou também o início do serviço nos Tribunais de Justiça (TJs) do Acre, Amapá, Rondônia, Sergipe e Rio de Janeiro; já os TJs de Santa Catarina e Paraná podem iniciar o serviço a partir de 23 de janeiro de 2017. O serviço de apostilamento realiza a autenticação de documentos emitidos no Brasil que devem ser reconhecidos no exterior.

A medida originou-se de decisão proferida no Pedido de Providência nº 3357-56.2016.2.00.0000 formulado pelas serventias extrajudiciais do interior e pela Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR).

Os demais Estados serão oficiados, por meio de suas corregedorias para que, no prazo de 15 dias, realizem estudo e enviem listagem com a identificação das serventias extrajudiciais do interior aptas a receber a autorização da Corregedoria Nacional de Justiça. Após, a Corregedoria promoverá o credenciamento dos cartórios do interior dos estados.

Competências

A listagem das autoridades aprovadas pela Corregedoria será remetida à Presidência do Conselho Nacional de Justiça para cadastramento no Sistema Eletrônico de Informação e Apostilamento (SEI Apostila). O CNJ também deverá dar apoio técnico às serventias quanto ao manejo e funcionamento do sistema, manter banco de dados unificado das apostilas emitidas, e disponibilizar o “modelo de carimbo” às autoridades competentes.

O apostilamento está em vigor desde o dia 14 de agosto deste ano. Este serviço, que facilita a legalização de documentos brasileiros e o reconhecimento deles no exterior, atende a Convenção da qual o Brasil é signatário ao lado de outros 111 países.

Fonte: Assessoria de imprensa CNJ

Boletim informativo Sinoreg-PR n. 23

Leia mais:

Confira o vigésimo terceiro número do Boletim informativo do Sinoreg-PR:

> Editorial

> Registro de Imóveis: CRI-PR dialoga com cartórios no Estado para melhorias nos procedimentos
Entidade está verificando necessidades e recebendo sugestões para promover avanços no atendimento dos ofícios paranaenses de RI ao documento eletrônico

> Cenário: Gratuidade de serviços prestados nos cartórios necessita debate contínuo
Especialista destaca que assunto precisa de reflexão, durante apresentação no XVIII Congresso Brasileiro de Direito Notarial e de Registro